19 fevereiro 2017

Duologia Crave a Marca - Vale a Pena?? Veronica Roth


Teve um comentário que deixarão aqui no blog esses dias, reclamando que eu estava falando mal da Veronica Roth. A pessoa ainda escreveu no comentário que parou de ler o post no começo e foi direto comentar que eu estava falando mal dos filmes e que ela não ficaria aqui pra ler isso. Tipo: OI? Tudo bom, contigo??? Para uma pessoa chegar aqui e escrever isso, é óbvio que ela só poderia ter lido o começo do post, porque se tivesse lido tudo saberia que eu amo a Veronica e que sou insuportavelmente fã dessa autora. O post em questão é aquele em que eu falo sobre “O que aconteceu com Convergente –O filme”. O post fala exatamente da diferença entre o livro e o filme, se esse leitor tivesse lido o post até o final, ele teria me apoiado assim como todos que comentaram. Eu não me importo em ler criticas, mas quando elas são infundadas me dá uma certa preguiçaaaaaa. A melhor parte do comentário foi quando ele disse que não leu os livros. Gente, se não leu os livros, não deveria nem ter comentado em um post que fala justamente da diferença entre ambos. Eu quis dizer tudo isso aqui no começo do post para deixar claro para todos que caírem aqui de paraquedas, que eu sou completamente apaixonado pela Veronica e que ela é minha autora favorita da vida até o momento. Mas vocês entendem que não é porque eu amo a autora, que eu vou amar qualquer coisa que ela escreva. OK? Então estamos conversados. Agora vamos falar mal do novo livro dela kkkkkkkkkk.

Eu fiz um post aqui no blog falando sobre todas as minhas expectativas, sobre tudo o que eu esperava encontrar em Crave a Marca (primeiro livro da autora após encerrar  a trilogia Divergente). Eu tive tantos problemas com essa leitura que eu não sei nem por onde começar. Durante toda a leitura eu fiz um diário de leitura lá no skoob, então alguns leitores já sabem como foi difícil concluir essa leitura. (Meu post sobre minhas expectativas foi feito um mês antes do lançamento do livro, por isso eu estava tão animado naquele post, eu não fazia ideia do que estava por vir kkk).

Antes de chegar meu exemplar, eu assisti a uma entrevista da autora no Youtube e já fiquei um pouco por dentro do universo do livro. Eu sabia que era uma ficção e que teria narrações intercaladas como aconteceu em Convergente. Porém, eu pensei: Como ela conseguirá escrever um livro com duas narrativas sem virar aquele fiasco que foi em Convergente?? Todo mundo sabe que era impossível saber quando era a Tris e quando era o Quatro narrando (kkkkkk) levou muito tempo para nos acostumarmos. Eles dois eram mimizentos e cheios de draminhas psicológicos, simplismente uma chatisse acompanhar os pensamentos deles.

Quando comecei a ler Crave a Marca,  a narrativa era em terceira pessoa. Eu pensei: Ok. Tudo será em terceira pessoa e assim nunca vamos nos confundir. E foi aí que eu estava enganado. Do nada, o livro começou a ser narrado em primeira pessoa. E foi neste momento que minha ficha caiu. O modo como a autora pensou em criar duas narrativas distintas foi colocar a mocinha para narrar em primeira pessoa e o mocinho em terceira. MEU DEUS DO CÉU qual é o problema dela??? Porque ela não consegue escrever um livro com dois protagonistas narrando em primeira pessoa como qualquer outra autora??? A autora de Belo Desastre faz isso perfeitamente bem, a Bianca Briones também fez uma narrativa maravilhosa em As batidas perdidas do coração... e por aí vai...

Depois que passou a narração confusa, começou os nomes super estranhos que já faz parte da autora (eu adorava os nomes dos personagens em Divergente, meu sonho é ter um filho só para chamá-lo de Uriah kkk). Mas os nomes em Crave a Marca são os seguintes: Akos, Altetahak, Aoseh, Benesit, Eijeh, Kutyah.....Como ela espera que eu lembre durante toda a leitura quem é quem?? Toda hora eu parava um pouco e me perguntava quem era aquele personagem. O universo do livro é muito grande, porém não dá muito tempo para mergulharmos nele. Está sempre acontecendo alguma coisa, então eu não tive muito tempo para me apegar aos personagens, quando eles morriam eu nem ligava (porque eu nem lembrava quem era ele mesmo kkkkkkkk). Parece que todos esses personagens vieram da "Audácia" rsrs são todos super violentos e estão sempre matando uns aos outros.

Em Divergente, nós acompanhávamos a história da Tris, sua jornada e blablabla. Aqui a autora quis nos apresentar a história tantos dos protagonistas, quanto de todos os outros personagens, então ficou muita história para poucas páginas. O livro tem 480 páginas, mas 45% é descrição dos lugares ou de várias coisas que não mudaria absolutamente nada se não soubéssemos. Tinha hora que eu só passava a vista, porque são poucos os diálogos e muita coisa desnecessária. Tinha hora que um personagem fazia uma pergunta que só precisava apenas de uma resposta, mas daí mostrava um textão gigante da protagonista pensando sobre o assunto e criando teorias desnecessárias, e após todo o textão, tinha a resposta dela. Então se você lê a pergunta, pula o textão chato e vai direto para a resposta, o resultado será o mesmo. Nada muda na narrativa ou no desenvolvimento da história. Então pra que o textão chato?? Eu não paro nem pra ler textão no Facebook, quanto mais em um livro que eu já estou lendo para espairecer as ideias...


Meu sonho era vir aqui e falar mil maravilhas dessas leitura, mas foram 480 páginas tão chatas, que seria muita hipocrisia minha vir aqui e elogiar o livro só porque eu amo a autora. Eu ainda não entendi se esse livro é uma ficção ou distopia. Até isso foi meio confuso de entender. A história é mais sobre vingança. Foi praticamente o livro todo, a protagonista vivendo uma vida de ódio contra o seu irmão ditador psicopata. E o mocinho tentando resgatar seu irmão, desse exato ditador psicopata. O romance é quase que zero nesse primeiro livro da duologia (só teve uns beijinhos aqui e ali kkk).

Acho que já reclamei demais. Eu ainda amo a Veronica e viveria facilmente em seu universo Divergente. Sou apaixonado por aquela história e personagens. O segundo e último livro de Crave a Marca sairá em 2018, porém dessa vez eu não vou comprar na pré-venda (meu dinheiro será melhor investido) e confesso que só vou comprar porque foi ela quem escreveu (eu provavelmente irei ler e espero não ter que vir aqui falar mal dele também kkk).

Eu fiz duas resoluções das adaptações, vou deixar aqui para quem quiser conferir.

O que aconteceu com Insurgente – O filme? (CLIQUE AQUI)


O que aconteceu com Convergente – O filme? (CLIQUE AQUI)

PS: Minha maior decepção com Crave a Marca foi que ele se tornou tudo o que eu não esperava, esquecível ):

PS: Postei as fotos com as edições em inglês de Divergente porque dei minhas edições nacionais para uma amiga e agora só tenho essas edições (mas pretendo comprar o box nacional ainda este ano e reler os livros pela terceira vez).

6 comentários:

  1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk amigo eu tô passada com o comentário lá no outro post kkk a criatura sem noção não lê o post e vem falar lorotas kkkkk jesus amado nos livre desse povo louco,eu marquei esse livro como desejado e ia pedir no meu niver,depois de ler o post e ver essa lista horrível de nomes kkkk e 480 paginas de chatice eu estou mega fora kkkk então "Crave a Marca" está fora dos meus desejados por tempo indeterminado e muito obrigada por compartilhar conosco essa informação tão valiosa kkkkkk um grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKKKKKKKKKKKK simmmmmmmmm amiga, não compre não. Vai ser só mais um livro encalhado na estante aff. Super decepção... Menina como vc está vendo os posts novos se eu nem divulguei eles no facebook ainda??? kkkkkkkk amoooooo

      Excluir
  2. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk o blog tá na lista favoritos kkkk todo dia quando conecto a net passo logo aqui depois no face kkkk já te falei eu sou fã,tu não acredita hehehehehe não vou comprar de jeito nenhum affs kkkkkkkkkkkk abraços!

    ResponderExcluir
  3. Nossa, Guto, to chocada!!
    Pretendia ler o livro em breve, mas vou prolongar um pouquinho mais! Apesar de ter ficado curiosa com sua resenha, mesmo com tantas críticas!
    Um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga, vai por mim, eu não exagerei nenhum pouco. Eu sou apaixonado pela veronica, mas esse livro foi um desastre. Dá pra facilmente tirar umas 200 páginas dele. Menina ansiosoooooooo para o lançamento fisico do seu livro, não vejo a hora!!!

      Excluir
    2. Tá chegando, Guto! Será antes do que o previsto! 😉

      Excluir

Pessoal, eu estou respondendo todo muito a noite quando volto do trabalho. Mas no Facebook eu respondo mais rápido!!