02 dezembro 2016

Resenha/Expectativa: Crave a Marca - Veronica Roth

Em um planeta onde a violência e a vingança imperam, em uma galáxia onde alguns são afortunados, todos desenvolvem habilidades especiais – o dom-da-corrente – um poder único para moldar o futuro. Enquanto a maioria se beneficia desses dons, Akos e Cyra não. Seus dons-da-corrente os tornam vulneráveis ao controle dos outros.

Será que vão conseguir recuperar o controle de seus dons, de seus destinos e das próprias vidas, e ainda instaurar o equilíbrio de poder no mundo?

Esse post será diferente de qualquer outro aqui do blog, porque eu simplesmente preciso conversar com vocês sobre um lançamento que eu espero há quase dois anos. No ano em que eu terminei convergente, imaginei que fosse passar uns 5 anos sem material novo da Veronica Roth. Depois de um tempo, ela declarou que estava escrevendo uma duologia e que os direitos já havia sido comprados. Essa noticia foi a luz no fim do túnel que eu tanto precisava.

Autores como John Green e Suzanne Collins estão há séculos sem lançar nada novo e sem previsão também. Essa decisão deles de darem um tempo, me arrasa como leitor. Porque dá a impressão de que eles escreveram para ganhar milhões, após terem ganhado essa grana, eles simplesmente evaporaram. Eu sei que com certeza não é esse o motivo de ambos  não terem publicado livros novos, mas como leitor eu sinto a necessidade de ler mais conteúdo desses autores.

Eu me apaixonei por suas histórias e gostaria de poder lê-las por muitos anos, mas isso não é possível. Eu sou um fã enlouquecido pela Veronica Roth e quase fiquei arrasado morrendo de medo da autora também parar de escrever novas aventuras pelos próximos anos. Eu com certeza amei a noticia dessa duologia que ela escreveu e estou com altas expectativas. Por um lado isso é bom, porque eu me empolgo para ler rápido o livro. Pelo outro lado é ruim, porque posso achar muito chato e entrar numa imensa desilusão literária.

Como a autora matou mais da metade dos personagens em sua primeira trilogia rsrs, eu acredito que todos os seus fãs estão temendo por novas próximas mortes rsrs. Eu espero que ela tenha aprendido muito com seu terrível Convergente e termine essa duologia de uma forma mais sensata. As mortes em Convergente não me incomodaram tanto quanto para os outros leitores, o que mais me frustrou foi a narrativa chata do Four e da Tris AFF dois malas, eu não sei o que aconteceu, porque eu amava os dois e de repente eu só queria que eles calassem a boca. Dois chatos birrentos. Deus me livre. Fora aquela coisa chata de GD GP GT affffff.

Vamos fazer uma corrente de oração para que a Veronica fuja desses termos de ficção chatos e foque em uma história divertida, viciante e romântica (como foi nos primeiros dias da Tris na Audácia). Eu vou comprar Crave a Marca na pré venda porque eu jamais vou conseguir esperar o preço diminuir, todos já estarão lendo o livro e não sobreviverei a isso kkkk. Eu não pretendo fazer uma resenha do livro quando eu ler, mas falarei dele em vários outros posts (é claro que se vários leitores me pedirem uma resenha eu farei, mas não é meu objetivo).

Eu não costumo resenhar distopias aqui no blog (mesmo sendo meu gênero favorito da vida), eu geralmente falo deles em posts de indicações, tags ou leituras. Quando se trata de trilogias distópicas, eu prefiro fazer posts falando da saga por completo (e não livro por livro). Abro excessões quando eu fecho alguma parceria com autores nacionais (e falando nisso), eu recebi uma prova de uma distopia nacional que será lançada em 2017 e já estou começando a leitura. O melhor desse gênero, é que antes de lermos já sabemos que terá ação, romance, reviravolta e um governo opressor. Tudo o que uma distopia precisa pra ser perfeita!!! (Esqueci de mencionar que a distopia se chama Sobreviventes do Caos, e terá resenha dele por aqui na próxima semana provavelmente).

Eu não quis ler a sinopse de Crave a Marca, para ler o livro sem saber absolutamente nada dele, já saiu escrito que ele terá uma pegada de Star Wars (e nem isso eu queria saber rsrs).


Eu não faço ideia se tem mais algum leitor aqui no blog super ansioso para ler esse livro (mas se tiver) me fala se você também está aguardando esse lançamento ou não pretende ler mais nenhum livro da autora após Convergente?? kkk

29 novembro 2016

Séries de TV - Netflix/Drama/Suspense/Online Parte 7


 Pessoal, eu estava acompanhando várias séries novas para poder conversar com vocês sobre o que eu achei de todas elas (por isso demorei um pouco para postar essa sétima parte). Como sempre, no final do post eu vou fazer um resumo de séries que eu já assisto há algumas temporadas e sobre os programas que eu ainda vejo.

Dessa vez, eu vou falar sobre algumas séries estreantes, algumas que eu abandonei e outras que estarão chegando no Netflix (mas que já passou na TV americana). Eu espero muito que vocês gostem do post, e deixem recomendações de séries nos comentários. Espero que entendam a minha opinião e não me xinguem nos comentários rsrsrs (porque eu não sou obrigado a nada)

3%



Após terminar a primeira temporada de 3% eu senti que não tinha entendido nada. É como se o diretor da série tivesse muito potencial, mas não soubesse por isso em prática. Não me apeguei a ninguém do elenco, teve atuações bem fracas, parecia uma mistura de atores da Malhação com Os Mutantes da Record. Sabe aqueles atores que não sabem chorar e começam a fazer aquelas caras e bocas forçadas? Foi exatamente assim na maior parte das vezes (a melhor atuação da série na minha opinião foi a da Mel Fronckowiak, pena que durou pouquíssimo). Todos personagens falam muito palavrão, a cada frase temos todo tipo de palavra chula (qual a necessidade de uma série jovem distópica usar a palavra Cuzão??). A trilha sonora foi desastrosa pelo simples fato da série ser uma distopia que se passa no futuro, aí em algumas letras temos as palavras “São João” e “Carnaval”. Tipo, OI?? Eu estou a meses aguardando essa série, estava louco para me apaixonar por ela, mas não foi dessa vez. Teve várias outras coisas que me incomodaram, mas como talvez muita gente possa gostar dela, então não vou ficar falando mal dela por aqui kkkk (vou respeitar o gosto dos outros). Mas, eu espero que vocês assistam e me digam o que acharam. Por outro lado, quem amou a série vai amar a trilogia O Teste, que acabou sendo muito parecido na etapa de seleção. Os testes feitos na série me lembrou muito os testes realizados nos livros, muito mesmo.

Travelers


Eu assisti ao primeiro episódio dessa série e achei bem promissor, fiquei super curioso com a história. Gostei também do elenco e das reviravoltas, porém eu vou deixar para acompanhar a temporada completa no Netflix (porque eu tenho muita preguiça de assistir online por sites que sempre ficam abrindo guias querendo baixar vírus no notebook kkk). 

Timeless


Eu estava super empolgado por essa série quando eu soube que a cada episódio os protagonistas iriam para uma época diferente, onde teve grandes acontecimentos mundiais. ENTRETANTO, quando cheguei ao episódio 4 eu já sabia exatamente o que iria acontecer. Timeless acabou caindo naquela chuva de clichês que o público já está cansado de ver. Em todos os episódios era a mesma coisa, eles voltavam no tempo, acontecia algo errado, o vilão aparecia, fugia e eles resolviam a trama do episódio (resumindo: mais do mesmo). Os mocinhos sempre vencem e blábláblá. Como eu já assisti muito desse clichê minha vida inteira, então resolvi abandonar a série. Mas, para quem curte viagem no tempo e muitas aventuras, com certeza eu recomendo Timeless (se essa série passasse na época da minha adolescência, eu iria me viciar nela).

Mars


Eu assisti ao primeiro episódio só por curiosidade mesmo, e não foi bem o que eu esperava. Eles misturaram ficção com acontecimentos reais o que deixou a série muito monótona (infelizmente). Eu amei a parte da ficção, mas quando começava a aparecer cenas de documentários do nada no meio da série, me dava muita preguiça. Então, é outra série que eu não pretendo acompanhar (gostaria que tivesse uma pegada mais Perdido em Marte do filme com o Matt Damon).

Too close Too home


Essa série acho que foi a surpresa do ano pra mim. Eu não sei se vou conseguir expressar o quanto eu amei. Sabe aquele tipo de série que você decide assistir ao primeiro episódio e depois não consegue mais parar enquanto não terminar a temporada completa? Então. Foi exatamente o que aconteceu comigo. Eu achei bem ridícula a sinopse dela porque tudo o que mostra na sinopse, acontece no primeiro episódio (a história é muito mais que aquela sinopse). A série tem um pano de fundo muito maior que o casinho da protagonista com um Governante famoso (que não vou falar quem é, porque seria um belo spoiler). O primeiro episódio tem duas horas de duração, e eu pensei que não fosse acabar mais kkkkk. Mas o lado bom disso, é que eu não via a hora de terminar um episódio para passar para o próximo. No último episódio tem uma revelação tão grande que eu jamais vi isso em uma série de TV. Fiquei super chocado e em momento algum eu esperava qualquer tipo de revelação. O últimos momentos antes de acabar a primeira temporada, acontece uma coisa que foi outro tiro destruidor. Eu não faço ideia de como eles iram dar sequência a essa cena na segunda temporada. Por último, vale lembrar que o elenco é muito bom, são atores que realmente sabem interpretar seus personagens, é como se eles fossem realmente aqueles personagens. Eu não dava nada por Too close Too home e fui completamente surpreendido, quando acabou eu estava estasiado, foi tanto barraco, treta e sexo que eu fiquei chocado kkk (a primeira temporada tem apenas 8 episódios, assisti tudo no domingo passado).

Conviction


Eu gostei muito dos dois primeiros episódios dessa série, mas aconteceu o mesmo que eu já comentei aqui antes. A série entrou naquela coisinha primária de resolver um caso por episódio e sempre os mocinhos ganhavam, a protagonista era mais inteligente que qualquer um na série e ela sempre resolvia o caso nos últimos minutos e blablabla #chatisse #previsível. Abandonei no episódio 4 e já li boatos de que a série corre o risco de ser cancelada agora em sua primeira temporada (quem manda não se reinventar, eles insistem em fazer sempre mais do mesmo).

No Tomorrow


Eu não tinha vontade alguma de assistir essa série, porque eu também não tive nenhuma curiosidade em assistir sua original (aquela da globo sobre Como aproveitar o fim do mundo, eu não em lembro muito bem, mas o nome era algo assim). A CW comprou os direitos da série com a Globo e fez sua versão da série nacional (com a Aline Moraes). Eu comecei a assistir ao primeiro episódio mas fui me distraindo o tempo todo, não conseguia prestar atenção. Eu não pretendo acompanhar ela, mas até onde eu vi era legalzinha (a audiência está baixa então também não é certeza de uma segunda temporada). 

Eyewitness


Gente eu não vou falar muito sobre essa série porque já vou super comentar sobre ela no post que eu pretendo fazer sobre as “Dez Melhores Séries que eu vi em 2016”. Mas para os mais curiosos, saibam que essa série Drama/Policial é muito boa, viciante e sempre termina os episódios com uma bomba, o final do terceiro episódio foi de tirar o fôlego. Foi muito destruidor. Super recomendo.

Sweet Vicious


Sweet Vicious é minha nova queridinha série da MTV. Eu fiz maratonas infinitas de Awkward amei todas as temporadas (menos a última, as primeiras são super divertidas). Depois passei a amar Finding Carter que é o drama de uma jovem que descobre que sua mãe NÃO É sua mãe e SIM sua sequestradora que a raptou quando tinha 3 anos de idade. Essa série me emocionou muito, eu era viciado nela (mas foi cancelada no final da segunda temporada #infelizmente). Agora meu coração bate mais forte por Sweet Vicious, por ser uma série divertida, dramática e muito viciante. Eu assisti um documentário no Netflix sobre essas jovens que são estupradas em universidades americanas e nada é feito a respeito. Eu lembro de uma das jovens mostrando um painel deixado no banheiro para todas as garotas colocarem os nomes dos seus estupradores e essa mesma cena apareceu em Sweet Vicious. A série trata desse mesmo assunto, a diferença é que as duas protagonistas a cada episódio, ela dão uma surra nesses agressores sexuais kkk. Elas são as melhores, a MTV sempre coloca muito humor negro e cultura pop em suas séries, e isso quebra aquele clima de tensão quando se trata de assuntos sérios. Eu super recomendo e não tem como alguém não gostar dessa série. 

Incorporated


Comecei a assistir ao primeiro episódio dessa série e MEU DEUS DO CÉU que tédiooooooooooo. Ela é meio que uma distopia onde o mundo é separado entre a casta verde e vermelha (se eu não me engano). Em um resumo o mundo é separado entre o rico e o pobre (basicamente como acontece nos nossos dias mesmo kkk). Não pretendo continuar assistindo.

Unreal


Unreal continua pelo segundo ano sendo uma das minhas paixões em série. Na primeira temporada, o reality show era muito mais interessante do que os bastidores dele, eu estava louco pra saber com quem o galã ia ficar (eu fiz maratona e foi muito divertido o primeiro ano da série). Agora nesta segunda temporada, os bastidores do reality foi muito mais presente, muito mais dramático e emocionante de acompanhar. Eu super recomendo Unreal e tenho certeza que todo mundo que é fã de reality show irá pirar nessa série (lembrando que fiquei chocado com as mortes que teve nesse segundo ano kkk). Antes de terminar de falar dessa série, preciso mencionar que Raquel é a protagonista mais danificada que eu vejo desde a Marisa em O.C. (amo ambas para sempreeeee).

Eu já falei sobre as séries principais deste post e se você não viu eu falando sobre sua série favorita por aqui, é porque COM CERTEZA eu falei sobre ela nos outros posts de séries. Agora vamos para o longo resumo que eu faço sobre minhas séries já convencionais.... Sobre How to get Away with Murder  eu amei muitooooooo a conclusão dessa primeira parte da terceira temporada e estava super com os dedos cruzados para que não morresse minha personagem favorita que é a Michaela (a audiência da série tem caído e eu espero muito que seja renovada para uma quarta temporada). Nightcap eu quero muito ver o primeiro episódio da série, mas no momento estou com um pouco de preguiça. The Fall eu assisti ao primeiro episódio da terceira temporada, mas não sei quando vou dar sequência (mas pretendo encerrar a série ainda este ano, lembrando que é a última temporada). Luke Cage eu parei no episódio 8 e estou com muita preguiça de continuar kkk mesmo estando super no final (eu gostei muito dele, mas tudo na série é muito parado, falta aquela agilidade do Demolidor). Sobre o Crossover da CW, eu vou esperar passar todos os episódios aí assisto tudo de uma vez (tipo uma breve maratona, acho que serão 4 ou 5 episódios). Riverdale eu espero que seja minha nova paixão de 2017, amei o trailer da série e faz exatamente o tipo de série teen que eu amo acompanhar ( a série chega em Janeiro).  TWD eu não tinha nenhuma expectativa para a sétima temporada (fora a parte em descobrir quem morreria), então estou gostando na medida do possível (infelizmente a série vem perdendo a agilidade/ação e trabalhando mais nos longos diálogos). Rectify é uma série mais antiga, mas eu li uma critica muito boa sobre ela e fiquei muito curioso, assim que eu ver o primeiro episódio, eu venho falar com vocês sobre ela. THE 100 retorna para o quarto ano em fevereiro, e estou contando os dias para isso (principalmente depois de tudo revelado no final da terceira temporada). Lembrando que eu fiz um post só sobre The 100 semana passada falando sobre todas as minhas expectativas. 

Agora sobre o que eu vejo fora do universo das séries, são bem poucas coisas porque eu não assisto televisão então não acompanho nada por lá. Mas, todos os dias eu assisto Vai que Cola pela internet (na hora do meu almoço no trampo), vejo também o Programa do Porchat (quando vai um convidado que eu curto), Girls in the House é vida, então não perco um episódio e por último eu acompanho Master Chef (X-Factor eu abandonei há tempos). MEU DEUS eu quase ia me esquecendo de mencionar meu amor pelo reality "De férias com o ex - Brasil" kkkkkkkk adorooooo. Eu não achei que a versão brasileira iria ficar tão boa quanto a americana, mas fui surpreendido, estou viciado nas tretas e nas sacanagens (simplesmente amando esse programa) eu acompanho pelo Youtube e super recomendo.

Esse post demorou um pouco para sair, porque eu tinha que ver um pouco de algumas séries para poder comentar com vocês. Este ano só terá mais um post de séries, que será sobre meu "TOP 10 Melhores". Daí, como eu tiro uma pequena férias do blog em Janeiro (como todos os anos anteriores), a parte 8 do post de séries sairá em Fevereiro. 

Não se esqueçam de me deixarem recomendações de séries para que eu possa assistir, e comentar nos próximos posts. Para quem chegou agora e não viu as outras partes desse "Especial", eu vou deixar aqui em baixo todos os links (para que vocês possam pegar várias indicações para assistir nas férias). 

Especial Séries de TV: Parte 1  Parte 2  Parte 3  Parte 4  Parte 5  Parte 6 .

Eu espero que vocês tenham gostado dessa sétima parte do post e muito obrigado por toda paciência que todos tem tido comigo (me refiro sobre a demora com posts novos). Vocês sabem como é corrido final de ano, e irei viajar nos dois próximos finais de semana, então vai demorar mais ainda para ter posts novos, eu posso garantir que ainda terá algumas resenhas e o post top 10 de séries, o post Resumo de leituras e o Top Melhores leituras do ano. Então agora em dezembro irei trabalhar neste conteúdo, após isso nos vemos em fevereiro (me corta o coração só de pensar, mas eu preciso dessas férias, principalmente para pensar em conteúdos novos).

PS: Fãs de THE 100 leiam o post especial que eu fiz da série e sua quarta temporada (CLIQUE AQUI).

PS: Esqueci de mencionar que está chegando no Netflix a série Slasher (eu já falei dela no blog na PARTE 1 do post de séries). Quem é fã de Scream, irá amar. Falow um super abraço de urso ☺☺☺☺